Vítimas mortais da gripe A falharam vacinação

Dados da Direcção-Geral da Saúde

02 dezembro 2010
  |  Partilhar:

Dos 124 doentes que morreram com gripe A em Portugal, 82 tinham factores de risco - logo, estavam nos grupos definidos pela Direcção-Geral da Saúde (DGS) para receber a vacina contra o H1N1, revela o jornal “Diário de Notícias”.

 

Apesar de pertencerem a grupos de risco, nenhum estava protegido quando foi infectado: apenas dois tinham recebido a primeira dose da vacina e outro contraiu a doença uma semana após a vacinação - o organismo demora duas semanas a reagir após a vacina.

 

Em 29 casos - 35% do total - as vítimas adoeceram pelo menos quatro semanas depois da data em que podiam ter sido imunizadas, segundo o calendário de vacinação para o respectivo grupo de risco. Ou seja, tempo suficiente para, caso tivessem sido vacinados, ficarem protegidas.

 

Segundo disse ao mesmo jornal o pneumologista Filipe Froes, estes dados permitem retirar da pandemia outras lições importantes; uma delas reside no facto de ser necessário aprender a comunicar melhor a noção de risco em especial para os novos media. Aliás, o relatório da DGS refere que no final de Outubro de 2009, quando começou a campanha, "os movimentos contra a vacinação alcançaram notoriedade inesperada" - graças à Internet mas também aos media tradicionais.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 4
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.