Vitamina D: níveis estão abaixo do adequado

Estudo coordenado pela Administração Regional da Saúde do Norte

15 novembro 2016
  |  Partilhar:

Um estudo realizado nos centros de saúde do Porto, no início de 2016, concluiu que 83,65% dos 316 utentes da amostra não apresentam níveis de vitamina D adequados, 25,96% tem níveis insuficientes e 57,69% denotam défice.
 

O trabalho foi realizado por seis médicos, sob a chancela da Administração Regional da Saúde do Norte, entre fevereiro e abril em cinco centros de saúde.
 

Bruno Morrão, o coordenador do estudo, referiu à agência Lusa que este estudo é "o primeiro do género realizado em Portugal", mas "apresenta algumas limitações" que podem levar a uma distorção, "uma vez que se trata de uma amostra de conveniência, traduzida nos utentes frequentadores da consulta, o que limita a extrapolação para a população em geral".
 

O tamanho da amostra “também não foi adequado, tendo-se verificado uma taxa de desistência de 31%", sublinhando o clínico ter-se tratado de "uma medição em massa dos níveis de vitamina D na forma de 25 hidroxivitamina D (Calcidiol)". Outras das limitações está relacionada com o facto de se ter realizado uma colheita única de sangue, no final do inverno.
 

"Não havendo colheita de uma amostra para comparação no final do verão, não é possível estabelecer uma relação de causa-efeito entre os níveis de vitamina D encontrados e a exposição solar", adianta.
 

Tendo em conta que "atualmente, os níveis de referência estabelecidos não são ainda consensuais entre as várias sociedades internacionais", aquele que foi "o primeiro estudo realizado em território nacional com estas características", alerta "para o potencial risco de hipovitaminose na população adulta saudável".
 

Bruno Morrão referiu ainda que, este foi o primeiro estudo em Portugal do género pelo facto de ter sido selecionada uma população sem quaisquer fatores de risco patológicos para a hipovitaminose D. Por exemplo, as pessoas com Índice de Massa Corporal acima de 30 (definição de obesidade) têm níveis de vitamina D diminuídos, não sendo incluídos no estudo por isso mesmo. A nossa população é teoricamente saudável. Nenhum dos outros estudos conhecidos teve em consideração estes fatores.
 

Questionado sobre se as conclusões do estudo apontavam para um problema de saúde pública, o clínico respondeu que os números alcançados levantam outras questões, admitindo que "estes níveis possam ser extrapolados para a população em geral".
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar