Vitamina D na gravidez torna bebés mais fortes

Estudo publicado no “Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism”

07 janeiro 2014
  |  Partilhar:
As crianças cujas mães têm níveis elevados de vitamina D durante a gravidez tendem a ter músculos mais fortes, defende um estudo publicado no “Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism”.
 
Baixos níveis de vitamina D têm sido associados a uma menor força muscular nos adultos e crianças. Contudo, pouco se sabe sobre como a variação dos níveis desta vitamina durante a gravidez afeta a criança. 
 
Assim, neste estudo, os investigadores da Universidade de Southampton, no Reino Unido, mediram os níveis de vitamina D em 678 mulheres que se encontravam em fases avançadas da gravidez. A força de preensão bem como a massa muscular foram medidas quando as crianças tinham quatro anos de idade.  
 
Os investigadores constataram que quanto mais elevados tinham sido os níveis de vitamina D durante a gravidez, maior era a força de preensão da criança. Foi também verificada  uma associação entre os níveis da vitamina D materna e a massa muscular da criança, apesar de menos pronunciada. 
 
“Estas associações entre a vitamina D materna e força muscular da criança poderão ter consequências mais tarde. Picos de força muscular em adultos jovens, antes do começo do declínio em idade avançada e baixa força de preensão na idade adulta têm sido associadas a um estado de saúde mais debilitado incluindo o aparecimento da diabetes, fraturas e quedas”, revelou em comunicado de imprensa, o líder do estudo, Nicholas Harvey.
 
O investigador acrescentou ainda que é provável que a força muscular observada nas crianças aos quatro anos de idade se prolongue até à idade adulta, podendo, potencialmente ajudar a combater as doenças associadas à perda de massa muscular na velhice.
 
De acordo com o professor de reumatologia da mesma Universidade, Cyrus Cooper, estes resultados poderão ajudar a conceber intervenções que tenham como objetivo otimizar a composição corporal da criança e dos idosos e, assim, melhorar a saúde das gerações futuras. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.