Vitamina C erradica a tuberculose resistente à medicação

Estudo publicado na “Nature Communications”

24 maio 2013
  |  Partilhar:

Investigadores americanos descobriram que a vitamina C elimina a tuberculose resistente à medicação, dá conta um estudo publicado na “Nature Communications”.
 

A tuberculose é causada pela infeção da bactéria Mycobacterium tuberculosis (M. tuberculosis). De acordo com a Organização Mundial de Saúde, em 2011, esta bactéria infetou  cerca de 8,7 milhões de pessoas e causou a morte de 1,4 milhões de indivíduos. As infeções que não respondem ao tratamento estão a ser cada vez mais um problema crescente. Na verdade, cerca de 65.000 pessoas em todo o mundo tem tuberculose multi-resistente (MDR-TB, sigla em inglês) e 9% dos quais sofre de tuberculose extremamente resistente (XDR-TB, sigla em inglês).
 

Neste estudo os investigadores da Yeshiva University, nos EUA, observaram que a tuberculose resistente à isoniazida, um potente fármaco de primeira linha, era deficiente numa molécula conhecida por micotiol. “Colocámos a hipótese de que a tuberculose que não é capaz de produzir esta molécula poderia conter uma maior quantidade de um aminoácido conhecido por cisteína”, revelou, em comunicado de imprensa, o líder do estudo, William Jacobs.
 

Os investigadores estavam à espera de quando adicionassem isoniazida e cisteína ao M. tuberculosis, a bactéria desenvolvesse resistência. Contudo, foi observado precisamente o contrário. Os autores acreditam que a cisteína ajudou a matar a bactéria, pois atuou como um agente redutor e despoletou a produção de espécies reativas de oxigénio, ou radicais livres, que danificam o ADN.
 

De forma a testar esta hipótese, os investigadores repetiram a mesma experiência utilizando um outro agente de redução, a vitamina C. Foi observado que a combinação da isoniazida e da vitamina C foi capaz de matar uma cultura de M. tuberculosis. “Ficamos surpreendidos ao verificar que não só a vitamina C foi capaz de matar o M. tuberculosis resistente à isoniazida como também as estirpes MDR-TB e XDR-TB.
 

O estudo apurou ainda que a vitamina C produz este efeito letal na bactéria pois induz uma reação conhecida por reação de Fenton, na qual o ferro reage com outras moléculas para a produção de espécies reativas de oxigénio.
 

“Não sabemos se a vitamina C funcionará nos humanos, mas agora temos dados racionais para a avançar para a realização de um ensaio clínico. Também ajuda saber que a vitamina C é pouco dispendiosa, amplamente disponível e segura. No mínimo, este estudo indica um novo caminho que podemos explorar para atacar a tuberculose”, conclui o investigador.  
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.