Vírus promissor no tratamento do cancro da próstata

Estudo publicado na revista “Journal of Virology”

28 fevereiro 2013
  |  Partilhar:

Segundo um estudo publicado recentemente, descobriu-se que um vírus recombinante da doença de Newcastle elimina todos os tipos de células cancerígenas da próstata, incluindo as que são resistentes aos tratamentos hormonais, sem afetar as células normais.
 

O vírus da doença de Newcastle é fatal em aves mas não é nocivo para os humanos. Este vírus, que é oncolítico, evolui em tumores e tem vindo a demonstrar resultados promissores em ensaios clínicos realizados sobre vários tipos de cancro.  
 

O cancro da próstata afeta cerca de 1 em cada 6 homens, sendo que 1 em cada 36 doentes não sobrevive á doença. Os homens com cancro da próstata que se torna resistente ao tratamento hormonal possuem uma esperança média de vida de 40 meses, se apresentarem metástases ósseas e cerca 68 meses, se não apresentarem metástases ósseas.
 

O autor do estudo, Subbiah Elankumaran, do Virginia Polytechnic Institute, nos EUA, explica que a disponibilização de um tratamento para o cancro da próstata baseado neste vírus poderia evitar os efeitos secundários adversos que estão associados ao atual tratamento hormonal  e também aos advindos da quimioterapia para o cancro.
 

No entanto, os cientistas depararam-se com um problema relativamente ao tratamento com este tipo de vírus. Para se revelar eficiente, o mesmo requeria a injeção de doses avultadas do vírus porque, durante a condução desses ensaios clínicos, o vírus não conseguia atingir tumores sólidos em quantidades suficientes, espalhando-se de forma diminuta pelos tumores.
 

Para resolver este problema, a equipa decidiu modificar a proteína de fusão do vírus. Esta proteína é responsável por unir a cápsula viral à membrana celular, permitindo que o vírus penetre na célula hospedeira. Estas proteínas são ativadas ao serem clivadas por diferentes protéases celulares. Os investigadores modificaram a estrutura da proteína de fusão para que esta pudesse ser clivada apenas por antígenos específicos da próstata (que são uma protease). Isto minimiza perdas, já que estes vírus, que foram redirecionados, apenas interagem com células de cancro da próstata, sendo necessária uma quantidade reduzida de vírus para o tratamento.
 

O tratamento com o vírus de Newcastle redirecionado oferece enormes vantagens em relação a outros tratamentos para o cancro. Primeiro, dado o facto de ser direcionado especificamente para as células de cancro da próstata, este tratamento não afeta células normais, ao contrário do que se passa com tratamentos de quimioterapia convencionais. Em segundo lugar, este tipo de tratamento poderá constituir a solução para os pacientes que apresentam resistência aos tratamentos hormonais, sem provocar os efeitos colaterais de supressão da testosterona que resulta dos tratamentos hormonais.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 4
Comentários 1 Comentar

cancro próstata

Boa noite.
Alguém me podereá informar onde poderei ser tratado com o vírus recombinante da doença de Newcastle?
Muito obrigado.

João Cunha

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.