Vírus inofensivo melhora sobrevivência dos doentes com sida

Investigação traz novas pistas para a terapêutica

05 março 2004
  |  Partilhar:

                                    A associação do vírus da sida a um outro vírus inofensivo melhora claramente a sobrevivência dos pacientes, segundo um estudo, publicado esta semana nos Estados Unidos, que dá uma nova pista terapêutica aos investigadores.O efeito retardador desse vírus (GBV-C, conhecido durante muito tempo como hepatite G), já descrito numa conferência sobre sida realizada em Boston (Massachusetts) em Fevereiro de 2003, foi agora confirmado por um estudo feito com 271 homens, seguidos durante 15 anos, e publicado na revista New England Journal of Medicine.As pessoas infectadas com o VIH «poderão beneficiar com a infecção por esse outro vírus», disse o virologista Roger Pomerantz, acrescentando esperar que os investigadores consigam compreender a interacção entre os dois vírus. Para este professor da Universidade Thomas Jefferson de Filadélfia (Pensilvânia), trata-se do primeiro caso conhecido em que a infecção por dois vírus tem um efeito melhor do que a infecção por um só. As pessoas co-infectadas têm melhor saúde do que as infectadas apenas com o VIH, levam mais tempo a desenvolver a sida e correm menor risco de morte», comentou o médico.«Cinco a seis anos depois da sua seroconversão (infecção pelo vírus VIH), os homens não infectados com o GBV-C correm 2,78 vezes mais riscos de morrer que os homens com uma virémia persistente com GBV-C», escrevem os autores do estudo, coordenado pelo Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas de bethesda (Maryland).Fonte: Lusa

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.