Vírus ébola pode ter surgido na carne de caça

Estudo traz dados esclarecedores

19 janeiro 2004
  |  Partilhar:

 

 

O fatal vírus ébola, que surgiu misteriosamente nas florestas africanas, provavelmente ataca as pessoas que manipulam e comem animais contaminados.
 

O vírus, que no seu surto mais recente matou 29 pessoas na República do Congo, aparentemente é transmitido pela carne de chimpanzés, gorilas e pequenos antílopes.
 

Num artigo publicado recentemente na reputada revista científica «Science», os cientistas referem que tanto os humanos, como os antílopes provavelmente infectaram-se quando comeram carne contaminada de macacos mortos.
 

«Quase todos os surtos de ébola humano no Gabão e na República do Congo estavam ligados à manipulação de animais mortos por habitantes de aldeias e caçadores, e o aumento na mortalidade de animais sempre precedeu os primeiros casos humanos», disse a equipa internacional de investigadores, liderada por Eric Leroy, do Instituto do Desenvolvimento de Investigação do Gabão.
 

Esta conclusão pode permitir para que os médicos lancem um alerta contra surtos do ébola quando grandes quantidades de animais aparecerem mortos nas florestas.
 

O ébola foi diagnosticado pela primeira vez em 1976 e consiste numa forma particularmente grave de febre hemorrágica. Os pacientes morrem em estado de choque, após sofrerem grandes hemorragias internas e externas. Dependendo do tipo de vírus, a doença mata entre 50 e 90 por cento dos pacientes.
 

A equipa liderada por Leroy estudou vários surtos na África Central e percebeu que havia muitos animais mortos na época das epidemias. Os cientistas também descobriram que os grandes primatas, como chimpanzés e gorilas, podiam ser infectados, embora a fonte original do vírus continue desconhecida.
 

«Os surtos humanos consistiram em múltiplas epidemias simultâneas causadas por diferentes vírus, e cada epidemia resultou da manipulação da carcaça de um gorila, chimpanzé ou antílope diferente», disse o estudo.
 

Deste modo, as populações animais diminuíram marcadamente durante os surtos de ébola humano, aparentemente como resultado da infecção do vírus. «As carcaças recuperadas estavam infectadas por vários tipos de vírus do ébola, o que sugere que os surtos em grandes primatas resultam de múltiplas introduções do vírus de um hospedeiro natural.»
 

Esse hospedeiro natural, ou reservatório, pode ser um animal que não adoeceu por causa do vírus. Outros vírus, inclusive o HIV (que provoca a Sida) supostamente vieram dos chimpanzés e de outros «parentes» dos humanos.
 

Os cientistas também notaram que os gorilas são animais particularmente sensíveis à doença. Junto com a caça abusiva e a devastação do habitat, isso pode levar à extinção desses animais na África Central. No entanto, muitos africanos dependem dos macacos das florestas para se alimentar. Como oposição, alguns Governos tentam desestimular esse hábito, porque muitas espécies de primatas estão ameaçadas.
 

Traduzido e adaptado por:
 

Paula Pedro Martins
 

Jornalista
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.