Vírus da gripe: primeira exposição fica gravada no sistema imunológico

Estudo publicado na revista “Cell Reports”

22 dezembro 2015
  |  Partilhar:
A primeira infeção com o vírus influenza provavelmente estimula a produção de anticorpos chave que posteriormente modelam a resposta imunológica contra as diferentes estirpes do vírus da gripe. O estudo publicado na revista “Cell Reports” fornece informações de como a exposição ao vírus da gripe tem impacto no sistema imunológico, as quais poderão ser úteis para o desenvolvimento de vacinas mais eficazes e duradouras.
 
Os investigadores do Hospital Pediátrico e da Escola de Medicina de Harvard, nos EUA, decidiram analisar como os anticorpos evoluem ao longo dos anos, após um indivíduo ser exposto a diferentes estirpes do vírus da gripe sazonal. Os investigadores focaram-se num indivíduo que tinha sido vacinado contra a gripe, quando tinha 18 anos, e avaliaram especificamente os anticorpos que tinham por alvo uma proteína encontrada na superfície do vírus da gripe, a hemaglutinina, que é necessária para este se ligar à célula hospedeira.
 
Ao analisarem as várias estipes de vírus da gripe sazonal com que o indivíduo teve contacto ao longo do seu crescimento, os investigadores, liderados por Stephen Harrison, constataram que os vírus que circulam na altura do nascimento de uma pessoa são responsáveis por desencadear uma resposta imunológica inicial que envolve anticorpos que se ligam à hemaglutinina do vírus. Ou seja, a primeira infeção pelo vírus da gripe conduz à produção de anticorpos contra a hemaglutinina que são importantes nas respostas imunológicas posteriores contra outras estirpes do vírus sazonal.
 
“Esta abordagem demonstra como a ativação do sistema imunológico através da exposição a um determinado vírus pode influenciar a resposta a encontros futuros”, referiu, em comunicado de imprensa, o primeiro autor do estudo, Aaron Schmidt.
 
O estudo também apurou que a vacinação aos 18 anos estimulou e atualizou os anticorpos iniciais contra a hemaglutinina. Os investigadores esperam realizar experiências noutros indivíduos de forma a verificar como a vacinação anual ou as infeções pelo vírus da gripe podem continuar a ter impacto nestes anticorpos ao longo do tempo.
 
Na opinião dos autores do estudo, estes achados sugerem que a vacinação das crianças contra regiões conservadas da hemaglutinina pode ser um passo construtivo importante para o desenvolvimento de uma vacina que desencadeie uma imunidade de longa duração.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.