Vírus da gripe é capaz de se esconder do sistema imunitário

Estudo publicado na revista “Nature Communications”

25 fevereiro 2016
  |  Partilhar:
O vírus da gripe é capaz de se mascarar, não sendo por isso inicialmente detetado pelo sistema imunitário. Este achado, publicado na revista “Nature Communications”, poderá ajudar a desenvolver tratamentos mais eficazes contra a gripe e doenças crónicas inflamatórias, como a artrite reumatoide.
 
A comunidade científica já tinha descoberto que o sistema imunitário era capaz de detetar os vírus e alertar o organismo assim que estes entrassem nas células para se multiplicarem. Contudo, os investigadores da Universidade de Aarhus, na Dinamarca, constataram que o vírus da gripe passa ao largo deste mecanismo, sendo capaz de contornar o avançado sistema de defesa do organismo.
 
"O vírus contém uma proteína que mascara a entrada deste nas células. Deste modo, o vírus da gripe pode difundir-se mais facilmente antes de o sistema imunitário o reconhecer e combater", revelou, em comunicado de imprensa, um dos autores do estudo, Christian Holm.
 
O vírus da gripe desenvolveu esta arma contra o sistema imunitário através da evolução. Os investigadores descobriram o mecanismo expondo células a uma proteína do vírus da gripe evolutivamente conservada. Verificou-se que as capacidades de defesa das células contra o vírus da gripe e outros tipos de vírus ficaram diminuídas.
 
Na opinião do investigador, estes resultados sugerem que o mecanismo de reconhecimento do sistema imunitário a que o vírus da gripe escapa é importante para a capacidade do organismo de se defender contra vírus.
 
Os investigadores referem que a pequena proteína que é capaz de mascarar o vírus da gripe não desempenha um papel importante apenas na luta contra a gripe. Esta pode ser utilizada para combater doenças autoimunes, como artrite reumatoide, bem como o lúpus. Nestas doenças, o sistema imunitário ataca células e tecidos saudáveis, apesar de ainda não se conhecerem as razões, e criam inflamação crónica.
 
"O efeito imunossupressor da proteína pode, possivelmente, ser utilizado para desenvolver tratamentos mais eficazes para estes tipos de doenças, em que o sistema imunitário está cronicamente hiperativo. Ao suprimir a reação do sistema imunitário, os sintomas podem ser reduzidos”, concluiu Christian Holm.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.