Vírus da constipação comum poderá tratar cancro da bexiga

Estudo publicado na revista “Clinical Cancer Research”

17 julho 2019
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores descobriu que o vírus da constipação comum poderá um dia tratar o cancro da bexiga músculo-invasivo.
 
O cancro da bexiga é o sétimo cancro mais comum nos homens e o 17º mais comum nas mulheres. Entre 70% a 80% deste tipo de cancro é cancro da bexiga músculo-invasivo, cujos tratamentos atuais podem ser demorados, pouco eficazes e com elevada recidiva tumoral.
 
Os investigadores liderados por Hardev Pandha, da Universidade de Surrey, no Reino Unido, decidiram estudar o impacto do vírus da constipação comum, conhecido como coxsackie A21 (CVA21) sobre o cancro da bexiga músculo-invasivo. 
 
Foram recrutados 15 pacientes que tinham sido diagnosticados com cancro da bexiga músculo-invasivo, aos quais foi oferecida uma dose de CVA21, uma semana antes da intervenção cirúrgica para remover os tumores. 
 
Nove dos pacientes receberam apenas CVA21 através de um cateter ligado à bexiga. Os restantes seis receberam CVA21 combinado com uma pequena dose de mitomicina-C, que é um fármaco de quimioterapia.
 
Foram recolhidas amostras de urina dos pacientes em dias alternados e amostras de tecido após a cirurgia.
 
As amostras de urina demonstraram que o vírus se copiou a si próprio e atacou e matou células cancerígenas em todos os pacientes. As amostras de tecido indicaram que o vírus foi apenas bem-sucedido no ataque às células cancerígenas e não no ataque às células saudáveis. 
 
Os investigadores acham que o vírus conseguiu inflamar os tumores na bexiga, desencadeando o trabalho do sistema imunitário. Um dos pacientes, inclusivamente, não demonstrou traços de cancro da bexiga músculo-invasivo durante a cirurgia.
 
Este trabalho poderá conduzir a futuros estudos para o uso do vírus CVA21 sobre o cancro.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar