Vinho tinto: composto pode ajudar no combate à obesidade

Estudo publicado no “Journal of Biological Chemistry”

10 abril 2012
  |  Partilhar:

Um composto encontrado no vinho tinto, uvas e noutros frutos é capaz de bloquear o processo celular que permite às células do tecido adiposo desenvolverem-se, abrindo assim uma porta para um potencial método para o controlo da obesidade, dá conta um estudo publicado “Journal of Biological Chemistry”.

 

Este composto, o piceatanol, tem uma estrutura semelhante ao resveratrol que também é encontrado no vinho, uvas e amendoins e que tem sido utilizado no combate ao cancro, doenças cardiovasculares e neurodegenerativas. O piceatanol pode também ter um papel importante no combate à obesidade. O resveratrol converte-se em piceatanol humano após o seu consumo.

 

“Na verdade o piceatanol altera o momento em que os genes são expressos, a função dos genes e a ação da insulina durante a adipogénese, o processo no qual as células adiposas se tornam maduras”, explicou, em comunicado de imprensa, um dos autores do estudo, Kee-Hong Kim. “Na presença do piceatanol, há um atraso ou uma completa inibição da adipogénese”.

 

Ao longo de um período de 10 ou mais dias, as células adiposas imaturas, conhecidas por pré -adipócitos, atravessam várias fases para se transformarem em adipócitos. Estas células percursoras, apesar de não terem lípidos acumulados, têm o potencial de se tornarem em células adiposas. Assim, na opinião dos investigadores, a adipogénese é um importante alvo molecular para atrasar ou impedir a acumulação de células adiposas e, idealmente, a sua formação.

 

Neste estudo os investigadores constataram que o piceatanol liga-se aos recetores da insulina nas células adiposas imaturas, na primeira fase da adipogénese, bloqueando a capacidade da insulina controlar os ciclos celulares e ativar os genes responsáveis pela maturação das células adiposas. No fundo, o piceatanol impede que as células adiposas amadureçam e se desenvolvam.

 

Os investigadores gostariam agora de confirmar estes resultados, os quais foram baseados em experiências em cultura de células, em modelos animais para obesidade. Kee-Hong Kim também espera incluir no seu futuro trabalho alguns métodos que protejam a degradação do piceatanol para que este consiga atingir as concentrações, no sangue, necessárias para impedir a adipogénese.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.