VIH: afeta mais de 2,8 milhões de pessoas dos países da CPLP

Estudo publicado na revista “The Lancet”

21 julho 2016
  |  Partilhar:

Mais de 2,8 milhões de pessoas vivem atualmente com o VIH nos nove países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), dois terços das quais em Moçambique, revela um estudo publicado na revista “The Lancet”.
 

O estudo ao qual a agência Lusa teve acesso baseou-se em dados recolhidos entre 1980 e 2015 em 195 países e conclui que 2,5 milhões de pessoas são anualmente infetadas com o VIH, número que tem diminuído pouco nos últimos dez anos.
 

Relativamente aos nove Estados-membros da CPLP (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste), o número de novas infeções em 2015 foi de 183 mil, a maioria das quais em Moçambique.
 

O espaço da lusofonia registou também um total de cerca de 105 mil mortes associadas à doença. Moçambique está entre os dez países mais afetados pela sida no mundo e, segundo o estudo, 1,8 milhões de pessoas vivem atualmente com o vírus da imunodeficiência humana no país.
 

O estudo estimou que em 2015, 70 mil pessoas morreram com a doença em Moçambique, onde 30,66% dos pacientes recebem terapias antirretrovirais, abaixo da média da região em que se insere.
 

Entre os países de língua Portuguesa, o Brasil é o segundo com mais pessoas a viver com a doença (cerca de 555 mil) e com mais novas infeções em 2015 (cerca de 34 mil), tendo registado nesse ano 21.05 mil mortes associadas ao VIH. Quase metade das pessoas infetadas no Brasil tem acesso a terapias antirretrovirais.
 

Em Angola, quase 286 mil pessoas vivem atualmente com o VIH e pouco mais de 28% das pessoas que vivem com o vírus estão atualmente abrangidas pelas terapias antirretrovirais no país africano.
 

Portugal é o país de língua portuguesa com maior cobertura destas terapias, que abrangem 60,58% das cerca de 115 mil pessoas infetadas. No ano passado, o país registou cerca de 2.220 novos casos e 530 mortes associadas à sida.
 

A Guiné-Bissau é o que tem mais pessoas a viver com VIH (41 mil). O país da África ocidental é, juntamente com Timor-Leste, dos que tem menor cobertura de terapias antirretrovirais (25,34%).
 

Atualmente mais de 24 mil pessoas vivem atualmente com o VIH na Guiné Equatorial, em Cabo Verde vivem cerca de quatro mil pessoas e em Timor-Leste quase mil e quinhentos indivíduos.
 

Segundo o estudo, em São Tomé e Príncipe há cerca de 30 pessoas infetadas com o VIH, 54,78% das quais recebem terapias antirretrovirais.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.