Videojogos: menos de uma hora por dia torna as crianças mais felizes

Estudo publicado na revista “Pediatrics”

06 agosto 2014
  |  Partilhar:

Jogar videojogos menos de uma hora por dia pode tornar as crianças e adolescentes mais bem adaptados, sugere um estudo publicado na revista “Pediatrics”.
 

Para o estudo, os investigadores da Universidade de Oxford, no Reino Unido, contaram com a participação de cinco mil rapazes e raparigas com idades compreendidas entre os 10 e os 15 anos. Os participantes foram questionados sobre o tempo que despendiam a jogar jogos de computador ou consola e quão satisfeitos estavam com a vida. Fora ainda avaliados os níveis de hiperatividade e desatenção dos participantes, empatia e relação com os colegas.
 

O estudo apurou que as crianças e adolescentes que passavam mais de metade do seu tempo livre a jogar videojogos não se integravam tão bem. Na opinião dos investigadores isto pode ser justificado pelo fato de os participantes estarem a perder outras experiências enriquecedoras e estarem expostos a conteúdos inapropriados e desenhados para adultos.
 

Contudo, os investigadores constataram que aqueles que despendiam menos de uma hora por dia a jogar apresentavam níveis de sociabilidade mais elevados e sentiam-se mais satisfeitos com as suas vidas. Na verdade, estes participantes tinham menos problemas emocionais ou conflitos com os seus pares, apresentando também um menor nível de hiperatividade. O oposto foi observado para as crianças e adolescentes que jogavam mais de três horas diárias de consola ou computador.
 

Os autores do estudo verificaram que não havia qualquer efeito positivo ou negativo no caso de as crianças jogarem de uma forma moderada, entre uma a três horas diárias.
 

Contudo, o estudo sugere que a influência, positiva ou negativa, dos videojogos nas crianças é pequena quando comparada com fatores como, a funcionalidade da família, relacionamento com colegas de escola e privação de bens materiais
 

De acordo com um dos autores do estudo, Paul Weigle, estes resultados vão ao encontro das recomendações da Academia Americana de Pediatria que defende que os pais deveriam limitar o tempo em que a crianças jogam ou veem televisão, o qual não deverá ultrapassar uma hora por dia.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.