Vida saudável pode prevenir envelhecimento celular por stress

Estudo publicado na “Molecular Psychiatry”

19 agosto 2014
  |  Partilhar:

Um novo estudo demonstrou que a adoção de um estilo de vida saudável poderá promover a redução dos efeitos negativos do stress.


Os efeitos negativos stress acumulam-se ao longo da vida e exercem um impacto sobre a aceleração do envelhecimento celular. No entanto, estes efeitos podem ser diminuídos através da manutenção de uma dieta saudável, boa qualidade de sono e da prática de exercício físico, indicou o estudo conduzido pela Universidade da California, San Francisco, nos EUA.


Segundo o autor principal do estudo, Eli Puterman, professor assistente do departamento de psiquiatria daquela universidade, “as participantes no estudo que praticavam exercício físico, dormiam bem e alimentavam-se bem, apresentavam um menor encurtamento nos telómeros do que as que não mantinham estilos de vida saudáveis, mesmo que apresentassem níveis de stress semelhantes”.


Os telómeros são estruturas que formam as extremidades dos cromossomas e que afetam a rapidez com a qual as células envelhecem. São constituídos por combinações de ADN e proteínas que protegem as extremidades dos cromossomas e ajudam-nos a manterem-se estáveis. À medida que os telómeros se tornam mais curtos, com a idade, enfraquecendo a integridade da sua estrutura, as células envelhecem e morrem mais rapidamente.


Para o estudo, os investigadores seguiram 239 mulheres não fumadoras e em fase de pós-menopausa durante o período de um ano. No início e no fim do ano de estudo foram retiradas amostras de sangue das mulheres com o intuito de se medir os telómeros, bem como lhes foi pedido que relatassem as suas experiências que lhes tivessem provocado stress. Foram avaliados nas mulheres três índices relativos a comportamentos saudáveis: dieta, atividade física e qualidade de sono.


Foi observado que as mulheres que mantinham um estilo de vida saudável, seguiam uma dieta saudável e apresentavam uma boa qualidade de sono pareciam estar protegidas sempre que eram expostas a situações de stress. Nesse grupo de mulheres, os fatores de stress pareciam não encurtar substancialmente os telómeros.


Por outro lado, as mulheres que demonstravam comportamentos menos saudáveis revelavam um maior declínio no encurtamento dos telómeros nas células imunitárias por cada fator de stress que tinha ocorrido nas suas vidas.


Segundo o autor principal do estudo, “este constituí o primeiro estudo que suporta a ideia, pelo menos de um ponto de vista observacional, que os eventos que provocam stress podem acelerar o envelhecimento imunitário celular nos adultos, mesmo num período curto de um ano. Impressionante é o facto de esses resultados sugerirem também que o facto de nos mantermos ativos e alimentarmo-nos e dormirmos bem durante períodos de grande stress é particularmente importante para atenuar a aceleração do envelhecimento das nossas células imunitárias”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.