Variações genéticas podem indicar propensão à Ansiedade

Estudo publicado na revista “Behavioral Neuroscience”

18 agosto 2008
  |  Partilhar:

Um estudo publicado na revista “Behavioral Neuroscience” relaciona a ansiedade a factores genéticos.
 

 

Cientistas alemães e norte-americanos demonstraram que os indivíduos portadores de uma variação no gene COMT, que regula o neurotransmissor dopamina, apresentam uma resposta reflexa exagerada quando observam imagens desagradáveis.
 

 

O estudo, liderado por Martin Reuter, da Universidade de Bonn, na Alemanha, avaliou 96 mulheres com uma média etária de 22 anos.
 

 

As variações no gene COMT, Val158 e Met158 foram objecto de estudado. Cerca de metade da população possui uma cópia de cada variação, a restante população é portadora de duas cópias de Val158 ou de duas cópias de Met158.
 

 

No teste, as voluntárias foram expostas a imagens agradáveis, neutras e desagradáveis. Uma análise comparativa das diferentes reacções revelou que as portadoras de duas cópias da variação Met158 apresentaram reacções mais fortes às imagens desagradáveis do que as portadoras de duas cópias da variação Val158 ou das que tinham uma cópia de cada variação.
 

 

As voluntárias portadoras de duas variações Met158 também apresentaram maiores sinais de ansiedade quando efectuaram um teste básico de personalidade.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.