Vacinação é importante em todas as idades

Semana Europeia da Vacinação

23 abril 2014
  |  Partilhar:
Todas as pessoas e não apenas as crianças devem ter as vacinas em dia, alerta a Organização Mundial da Saúde (OMS) no âmbito da Semana Europeia da Vacinação, que decorre de 22 a 26 de Abril.
 
Esta iniciativa, à qual a Direção-Geral da Saúde (DGS) se associa pelo quinto ano consecutivo, tem como objetivo divulgar a importância e os benefícios da vacinação e centra-se, na edição em curso, na promoção da vacinação ao longo do ciclo de vida. 
 
A iniciativa pretende ainda relembrar a meta da eliminação do sarampo e da rubéola em 2015, bem como a manutenção das metas atingidas no passado, como a eliminação da poliomielite na Europa. 
 
A DGS refere em comunicado que “Portugal tem vários motivos para festejar a semana europeia da vacinação”, uma vez que “o Programa Nacional de Vacinação, que existe desde 1965, tem tido excelente desempenho, atingindo vários sucessos ao longo dos anos”.
 
A notícia avançada pela agência Lusa, refere que entre estes sucessos, são mencionados a eliminação da varíola nos anos 50-60, declarada erradicada pela OMS em 1980, a eliminação da poliomielite nos anos 90, a eliminação do tétano neonatal nos anos 90, a eliminação da difteria nos anos 90, a eliminação do sarampo e da rubéola na primeira década do século XXI, a quase eliminação de meningites e outras doenças graves por Haemophilus influenzae b e por meningococo C na primeira década do século XXI e a quase eliminação do tétano do adulto. 
 
A DGS relembra as vacinas recomendadas aos adultos no âmbito do Programa Nacional de Vacinação (PNV), que é universal e gratuito para todas as pessoas presentes em Portugal.
 
A DGS alerta para os reforços da vacina contra o tétano e a difteria, os quais devem ser feitos de dez em dez anos, durante toda a vida, não esquecendo as mulheres grávidas ou que pretendam engravidar. A vacina contra o sarampo também deve ser administrada a todos os adultos que nunca tiveram sarampo nem foram vacinados em criança, especialmente os profissionais de saúde.
 
A DGS alerta também para a importância da vacina contra a rubéola, a qual deve ser administrada a todas as mulheres que nunca tiveram rubéola nem foram vacinadas em criança e que pretendam engravidar, e a todos os profissionais de saúde. A vacina contra a poliomielite deve ser administrada a profissionais de saúde. Por último a DGS refere ainda que as pessoas que planeiam viajar devem estar protegidas (com o esquema vacinal em dia) contra o sarampo, a poliomielite, o tétano e a difteria. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.