Vacina da Sida em 2004

Universidade de Maryland apresenta resultados promissores

22 outubro 2002
  |  Partilhar:

Uma aparentemente promissora vacina contra o vírus da Sida desenvolvida no Instituto de Virologia Humana da Universidade de Maryland (EUA) deverá começar a ser usada em breve, depois de anos de investigação sem resultados.
 

O instituto é dirigido pelo investigador norte-americano Robert Gallo, um dos responsáveis pela descoberta do vírus da Sida.
 

 

"Estou optimista, pois cientistas do meu instituto desenvolveram uma vacina que se revelou, em três tipos de animais, capaz de imunizar contra várias estirpes do vírus da Sida. Temos motivos para acreditar que também funcione assim nas pessoas e acredito que em 2004 poderemos ver os primeiros resultados", assegurou Gallo, durante uma conferência realizada terça-feira à noite na Universidade de Veterinária de Viena.
 

 

Gallo indicou que "no próximo Natal estarão já disponíveis os primeiros resultados de experiências realizadas com a vacina em macacos".
 

 

Em sua opinião, nem sequer os países industrializados se podem sentir a salvo da Sida, pensando que apenas eles dispõem de uma terapia eficaz.
 

 

"A Sida existe em muitas regiões. E mais, a epidemia expande-se de forma dinâmica e a situação piora em todo o lado", acrescentou.
 

 

"Estive no Verão na Calábria (Itália) e vi ao longo de uma rua de 200 metros várias prostitutas provenientes de África. Se alguém olhar para a situação no leste europeu é impossível acreditar que o problema não vá voltar a fustigar" esta região, indicou.
 

 

Um dos problemas que constrange os investigadores que trabalham no desenvolvimento de uma cura definitiva para a Sida é o constante aparecimento de novas estirpes do vírus e a incapacidade do sistema imunitário para atacar cada uma das mutações que este origina na sua fusão com as células sãs.
 

 

Actualmente, a terapia da Sida prepara-se para aplicar os últimos medicamentos especializados em impedir a fusão do vírus do HIV, origem da doença, com as células sãs.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.