Vacina da gripe A e morte fetal não têm ligação

Nota de imprensa do INFARMED

26 novembro 2009
  |  Partilhar:

Foi encerrado o processo desencadeado pela Agência Europeia do Medicamento que analisou uma possível relação causal entre a administração da vacina contra a gripe A (H1N1) e as mortes fetais entretanto ocorridas.

 

"Após a análise de toda a informação disponível, a existência de uma relação causal entre a administração da vacina Pandemrix e a ocorrência de morte fetal foi considerada improvável”, refere o comunicado enviado à imprensa pelo INFARMED (Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde), citando a Agência Europeia do Medicamento.

 

Na nota de imprensa, a Agência Europeia do Medicamento, os Estados-membros envolvidos e o INFARMED consideram ainda que “a relação entre os benefícios e os riscos da utilização da vacina contra a gripe pandémica em grávidas se mantém positiva”.

 

Acrescenta ainda o mesmo comunicado que, até segunda-feira, recebeu duas notificações de morte fetal em Portugal após a administração da vacina contra a gripe H1N1, esclarecendo que não foi notificado sobre um terceiro caso, ocorrido no Hospital de Santo André, em Leiria, que foi noticiado pelos meios de comunicação social.

 

A nível europeu foram recebidas oito notificações de morte fetal após vacinação com o Pandemrix.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.