Vaca resistente à BSE

Cientistas desenvolvem tecnologia para criar animal para uso médico

01 junho 2004
  |  Partilhar:

Cientistas japoneses e norte-americanos desenvolveram tecnologia que permitirá criar pela primeira vez uma vaca resistente à encefalopatia espongiforme bovina (BSE) destinada não à produção de carne mas de medicamentos para uso humano.Um embrião geneticamente modificado com essa característica foi já implantado numa vaca, estando o seu nascimento previsto para o princípio do próximo ano, anunciou segunda-feira a divisão farmacêutica da empresa japonesa Kirin, que desenvolveu o projecto com a Hematech, que tem sede nos EUA.A Hematec é uma empresa de biotecnologia especializada no fabrico de anticorpos para prevenir doenças infecciosas. «Trata-se de uma importante descoberta, feita pela primeira vez no mundo», comentou a porta-voz da divisão farmacêutica da Kirin, sublinhando que o objectivo desta nova tecnologia não será aumentar o consumo de carne de vaca.«Mesmo que uma vaca sem priões pareça segura, é praticamente a mesma coisa que um organismo geneticamente modificado» (OGM), disse a porta-voz.Acrescentou que a tecnologia em causa permitirá desenvolver novos medicamentos para lutar contra doenças como a hepatite C, pneumonia ou doenças reumáticas como a artrite reumatóide, que deverão entrar no mercado norte-americano em 2013 ou 2014.Embora seja possível produzir medicamentos seguros a partir de gado infectado com BSE, mais conhecida por doença das «vacas loucas», as duas companhias decidiram criar vacas imunes por considerarem que o público se sentirá mais seguro a consumir fármacos produzidos a partir de extractos destes animais.Fonte: Lusa

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.