Utilizadores de telemóveis desconhecem os níveis de radiação dos seus aparelhos

Alerta do especialista Santos Rosa

12 abril 2009
  |  Partilhar:

Os utilizadores de telemóvel ainda não se consciencializaram para a problemática das radiações electromagnéticas e dos seus efeitos na saúde humana, adverte Santos Rosa, professor catedrático da Faculdade de Medicina de Coimbra.

 

Em declarações à agência Lusa, Santos Rosa revela que “as pessoas compram os telemóveis por serem bonitos, por terem ou não 3G, porque têm uma câmara melhor, têm ou não mp3 e nunca vêem o SAR”(Specific Absorption Rate, em português Taxa de Absorção Específica, que significa a quantidade de energia que o corpo absorve quando se está ao telemóvel).

 

Na Europa, tal como em Portugal, o limite de SAR estipulado é de 2,0 watts por quilograma, calculados sobre dez gramas de tecido corporal.

 

Santos Rosa refere que este é o "chamado limite prudente perante as condições práticas que existem", nomeadamente a falta de consenso na comunidade científica sobre os efeitos das radiações electromagnéticas na saúde humana, "mas não é seguramente o limite que biologicamente devêssemos querer".

 

Para o professor a “radiação pode ser inócua” mas, como é algo que “não é natural”, é de recomendar “bastante cuidado, tendo em conta que o ambiente artificial pode ter consequências que se desconhecem”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.