Utentes portugueses são dos que mais contribuem para compra de fármacos

Estudo da União Europeia

09 maio 2011
  |  Partilhar:

Portugal é um dos países da União Europeia em que o sistema de saúde menos contribui na comparticipação de medicamentos, segundo um estudo da Direcção Geral de Políticas Internas da União Europeia, que refere que o utente paga um terço do valor dos fármacos.

 

O estudo mostra que, na média de 16 países, o utente contribui com cerca de 15% na compra de medicamentos. Portugal surge como um dos países em que os utentes mais têm de desembolsar para os fármacos (mais de 30%), apenas ultrapassado pela Dinamarca e Finlândia.

 

Em 12 dos 16 países, os utentes apenas contribuem com menos de 20%, sendo o resto assegurado pelos sistemas de saúde, que diferem de país para país. O estudo da União Europeia salienta também que os preços dos medicamentos tendem a ser mais elevados em países com rendimentos per capita maiores.

 

Num comentário a estes dados, o economista de saúde Pedro Pita Barros, citado pela agência Lusa, reconhece que Portugal é dos países com uma maior comparticipação dos utentes nas despesas com medicamento, mas lembra que há depois uma percentagem de reembolso ao nível do IRS. Contudo, o economista reforça ser “difícil que no futuro se exija mais esforço aos utentes em termos de comparticipação de medicamentos”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 4
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.