Urticária crónica: vitamina D alivia sintomas

Estudo publicado na revista “Annals of Allergy, Asthma and Immunology”

20 fevereiro 2014
  |  Partilhar:

A vitamina D pode fornecer algum alívio na urticária crónica, uma condição que não tem cura e que tem poucas opções de tratamento, dá conta um estudo publicado na revista "Annals of Allergy, Asthma and Immunology”.
 

A urticária é uma reação alérgica da pele caracterizada por manchas vermelhas, de tamanhos diferentes, com relevo e acompanhadas por comichão. Na maioria dos casos, a urticária tem a duração de apenas 24 horas mas pode, em casos raros, persistir mais de seis semanas e até anos. Uma vez que está associada a lesões persistentes, irregulares, a urticária crónica tem um grande impacto na qualidade de vida das pessoas afetadas.
 

A causa da urticária ainda não está completamente esclarecida, mas acredita-se que as reações alérgicas e autoimunes estejam envolvidas. Adicionalmente, as opções terapêuticas para a urticária crónica são limitadas. “Os anti-histamínicos e outros fármacos antialérgicos são habitualmente utilizados no controlo dos sintomas. No entanto, alguns têm um elevado custo e apresentam efeitos adversos consideráveis”, revelou, em comunicado de imprensa, a líder do estudo, Jill A. Poole.
 

Assim, neste estudo os investigadores da Universidade do Nebraska, nos EUA, decidiram avaliar o efeito da toma de suplementos de vitamina D3 no tratamento da urticária crónica. Ao longo de 12 semanas, 38 indivíduos tomaram uma combinação de três fármacos antialérgicos. Metade dos participantes tomou 600 UI de vitamina D3 e a outra metade 4000 UI da mesma vitamina.
 

O estudo apurou que após uma semana de tratamento, a severidade dos sintomas diminui em cerca de 33% nos dois grupos. Ao fim de três meses, os indivíduos que tinham tomado a dose mais elevada de vitamina D3 apresentaram uma diminuição de 40% na severidade da urticária. A toma de 600 UI de vitamina D3 não conduziu a nenhuma melhoria adicional após a primeira semana de tratamento.
 

“Considerámos que houve uma melhoria significativa. A toma da dose mais elevada de vitamina mostrou ser promissora e não apresentou quaisquer efeitos adversos. Desta forma a vitamina D3 pode ser considerada uma terapia segura e potencialmente eficaz”, revelou, em comunicado de imprensa, a líder do estudo, Jill A. Poole.
 

O investigador acrescentou que a toma de vitamina D3 não representa uma cura, mas mostrou ser benéfica quando associada à administração de fármacos antialérgicos.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.