Unidade de transplantes do IPO do Porto considerada a maior da Península Ibérica

1500 transplantes realizados desde 1989

04 março 2011
  |  Partilhar:

O Serviço de Transplantação de Medula Óssea (STMO) do Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto largou 1500 balões para assinalar o número total de transplantes realizados, cerca de 1.500 desde 1989, facto este que a coloca na maior unidade da Península Ibérica.

 

O director daquele serviço, António Campos, pretende agora avançar com outros projectos, um dos quais visa alargar o programa de transplantação a outras áreas, nomeadamente às doenças raras.

 

“Algumas dessas doenças podem ser curadas ou, parte delas, corrigidas com a transplantação de medula óssea. Muitas dessas doenças raras atingem vários sistemas, entre os quais o hematológico que é passível de correcção com transplantação de medula”, revelou à agência Lusa o responsável António Campos.

 

“O que estamos a fazer neste momento é tentar organizarmo-nos com a Pediatria do Hospital Maria Pia e com o ICBAS no sentido de aderirmos a um grupo europeu deste tipo de doenças. O objectivo é dar maior visibilidade e maior informação daquilo que é passível de ser curado ou pelo menos corrigido com este tipo de tratamento”, acrescentou.

 

António Campos também avançou com outro projecto que consiste na “transplantação em regime de ambulatório”, ou seja, “todo o programa de transplantação, excepto a administração de quimioterapia, seria feita no domicílio”.

 

“Não é possível para todos os transplantes, mas, no caso de ser possível, seria extremamente cómodo, porque o doente estaria no seu ambiente e o risco de infecção seria muitíssimo mais reduzido”, considerou.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.