Uma dose diária de café poderá prevenir doença de Alzheimer

Análise a estudos pela Universidade de Coimbra

30 novembro 2007
  |  Partilhar:

 

Uma dose diária de café poderá ajudar a prevenir a doença de Alzheimer, alertou uma investigadora da Universidade de Coimbra, citando um estudo que comparou pessoas que tomaram café ao longo da vida com outras que não o fizeram.
 

 

Um grupo de investigadores da Universidade de Coimbra (UC), a exemplo do que acontece em outros centros de investigação internacionais, está empenhado em desenvolver uma pesquisa básica para perceber os mecanismos da doença neurodegenerativa, identificar alvos terapêuticos e testar compostos para avaliar se são neuroprotectores.
 

 

"Uma dose diária de café, de certo modo, retarda o surgimento da doença", afirma Cláudia Pereira, do Centro de Neurociências da UC. Esta conclusão teve por base a análise comparativa de pessoas que ao longo da vida tinham o hábito de tomar café, e outras que não o integravam na sua dieta. Laboratorialmente têm-se realizado testes com cafeína em ratinhos.
 

 

“Poderá eventualmente haver uma estratégia terapêutica para problemas associados à memória. Poderá ser um princípio activo de fármacos em doenças neurodegenerativas", considerou a investigadora, em alusão à cafeína, durante a conferência "Quando a memória nos atraiçoa", enquadrada num ciclo intitulado "conversas com cientistas" que decorreu na semana passada no Museu da Ciência da Universidade de Coimbra.
 

 

Fonte: Lusa
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.