Uma análise ao sangue poderá detetar a doença de Alzheimer

Estudo publicado na revista “JAMA Neurology”

02 maio 2019
  |  Partilhar:
Um novo estudo demonstrou que uma simples análise ao sangue poderá detetar a aceleração na deterioração das células nervosas no cérebro.
 
O estudo, conduzido por investigadores da Universidade de Lund, na Suécia, revelou que a proteína conhecida como neurofilamento leve (NFL, na sigla em inglês) parece cada vez mais constituir um candidato a biomarcador para a doença de Alzheimer. 
 
As concentrações de proteína NFL no sangue poderão indicar se um fármaco está a atuar sobre a perda de células nervosas.
 
Quando as células nervosas no cérebro são danificadas ou morrem, a proteína NFL penetra no líquido cefalorraquidiano, passando depois para o sangue. Já se sabia que os níveis de NFL são mais elevados nos pacientes com doenças neurodegenerativas, no entanto faltavam estudos de longa duração sobre este tema.
 
Os investigadores deste estudo recolheram amostras sanguíneas ao longo de 11 anos e em muitos momentos, a 1.182 pacientes com Alzheimer esporádica e diferentes graus de incapacidade cognitiva, assim como a um grupo de controlo de 401 indivíduos saudáveis. 
 
“Descobrimos que com o tempo a concentração de NFL aumenta na doença de Alzheimer e que o aumento desses níveis está também em sintonia com os danos acumulados no cérebro, que podemos medir através de punções lombares ou de imagem por ressonância magnética”, afirmou Niklas Mattsson, investigador neste estudo. 
 
O investigador evocou outro estudo recente com Alzheimer hereditária que apresentou resultados semelhantes. “Juntos, estes estudos indicam que a NFL no sangue pode ser usada para medir danos nas células cerebrais em várias formas da doença de Alzheimer”, disse.
 
Não há fármacos que tratem a redução da perda de células nervosas no cérebro. Apenas há fármacos que mitigam os problemas cognitivos causados. A medição das concentrações de NFL no sangue poderá indicar se um fármaco está mesmo a afetar a perda de células nervosas, quando se tiver atingido uma dose otimizada ou se se deve experimentar outro fármaco.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar