Um terço dos centros de saúde na região de Lisboa tem instalações degradadas

Estudo apresenta resultados preocupantes

11 maio 2004
  |  Partilhar:

Cerca de um terço dos centros de saúde da região de Lisboa tem instalações degradadas e a maioria possui equipamento técnico inadequado e em mau estado de conservação, revela um estudo apresentado segunda-feira.Realizado conjuntamente pela Secção Regional Sul da Ordem dos Médicos (OM) e a Administração Regional de Saúde (ARS) de Lisboa e Vale do Tejo, o estudo avaliou as condições técnicas para o exercício da medicina geral e familiar em 24 centros de saúde escolhidos aleatoriamente nas regiões de Lisboa, Santarém e Setúbal.Nenhuma das unidades visitadas pela comissão conjunta possui todo o equipamento básico de urgências, a informatização é deficiente na maioria, 60 por cento dos centros de saúde está instalada em edifícios construídos para habitação e 30 por cento deles possui barreiras arquitectónicas que dificultam ou impossibilitam o acesso a pessoas com dificuldades de mobilidade, como os mais idosos.Em matéria de resposta às necessidades das populações, a situação não é melhor, já que dos 24 centros de saúde visitados, 13 por cento dos inscritos não têm médico de família (108.109 pessoas), mas a maioria das listas dos médicos tem já mais de 1.500 inscritos (número previsto na lei), atingindo mesmo em alguns casos os 2.205 utentes.Fonte: Lusa

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.