Um perímetro da cintura metade da altura ajuda a aumentar a longevidade

Estudo apresentado no 19th European Congress on Obesity

17 maio 2012
  |  Partilhar:

A razão entre o perímetro da cintura e a altura (WHtR, sigla em inglês) é um método mais eficaz na previsão do risco cardiometabólico, do que apenas o perímetro da cintura ou o índice de massa corporal (IMC). Adicionalmente, o estudo apresentado no 19th European Congress on Obesity, em França, também dá conta que, se população mantiver um perímetro de cintura menos de metade da altura viverá, provavelmente, mais tempo.

 

Para o estudo os investigadores do Reino Unido fizeram uma revisão bibliográfica de 31 publicações, envolvendo a participação de cerca de 300.00 indivíduos, utilizando uma análise específica e sensível para a avaliar o poder discriminativo dos índices antropométricos em indivíduos com diabetes tipo 2, síndrome metabólico, pressão arterial elevada e níveis elevados de gordura.

 

Os investigadores, liderados por Margaret Ashwell e Sigrid Gibison, descobriram que, em comparação com o IMC, a WHtR apresentava um melhor poder discriminativo. Foi também verificado que a WHtR era uma melhor ferramenta de previsão do risco de diabetes, eventos cardiovasculares e hipertensão, do que o perímetro de cintura. A utilização da WHtR também foi melhor que o IMC e o perímetro de cintura na deteção do risco cardiomatabólico em ambos os sexos. Assim, de acordo com os autores, a WHtR deverá ser considerada a ferramenta de eleição para o rastreio destas doenças.

 

Por outro lado, os investigadores também chamaram atenção para o facto de o perímetro da cintura e o IMC não poderem ser utilizados uniformemente para os indivíduos de diferentes etnias. Atualmente, o National Institute for Health and Clinical Excellence, no Reino Unido, está a criar novas guidelines para a utilização do perímetro da cintura. Contudo, para a Margaret Ashwell isto é um desperdício de recursos dado que a utilização da WHtR pode ser aplicada em todos as populações. Na realidade esta ferramenta tem ganho popularidade em vários países, nomeadamente no Reino unido, EUA, Austrália, Japão, Índia e Brasil.

 

Margaret Ashwell conclui ainda que a esperança de vida da população pode ser aumentada caso esta mantenha os valores do perímetro de cintura a menos de metade dos valores da altura.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 2Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.