Um doce Natal…repleto de cravinho, canela, gengibre e erva-doce

Indicações da Associação Portuguesa de Nutricionistas

24 dezembro 2012
  |  Partilhar:

Com a chegada da época natalícia, enche-se a casa de presentes e iguarias, esvazia-se a carteira e…alarga-se a cintura. Estudos realizados indicam que os portugueses engordam até 2,5 kg durante esta quadra festiva.
 

Torna-se difícil resistir à diversidade gastronómica que compõe uma mesa de Natal portuguesa: entradas repletas de salgadinhos, fritos, marisco, frutos secos, entre outros, bacalhau suculento, peru assado, batatas regadas de azeite e o universo de doces típicos da quadra que são raramente consumidos noutras alturas do ano.
 

É  difícil resistir a todas estas tentações gastronómicas e os excessos alimentares são frequentes, sendo muitas vezes regados com copiosas quantidades de bebidas alcoólicas. Adicionalmente, o facto de muitos pratos típicos de Natal serem muito ricos em gorduras saturadas e em açúcar, acarreta riscos não só para a cintura mas também para a saúde em geral.
 

Para além da típica palavra de ordem – moderação - é possível desfrutar de um Natal delicioso, mas mais saudável. A Associação Portuguesa de Nutricionistas propôs alterações na ementa de Natal que poderão fazer toda a diferença. Adicionalmente, a associação disponibilizou no seu site um delicioso livro de receitas de Natal aparentemente tradicionais, mas com uma diferença: além de uma abundância de especiarias e ervas aromáticas, possuem uma quantidade reduzida de gorduras saturadas e açúcar.
 

Mas se no entanto decidiu optar pelas receitas tradicionais, a Associação Portuguesa de Nutricionistas sugere algumas alterações que irão reduzir significativamente o teor de gordura e de açúcar dos pratos confecionados.
 

É muito importante procurar preparar refeições só para dia 24 e 25 e não ficar com sobras para os dias seguintes. As refeições podem também ser confecionadas reduzindo o teor de gordura, sal e açúcar e privilegiando as especiarias e ervas aromáticas. Prefira sempre a gordura vegetal e o açúcar mascavado ou amarelo.
 

Relativamente às entradas, tente evitar o consumo de fritos e salgadinhos e inclua uma sopa de Natal. Se fizer questão de ter fritos na mesa de Natal, procure que sejam preparados em casa já que os comprados em grandes superfícies possuirão, provavelmente, uma quantidade elevada de gorduras saturadas.
 

A refeição principal deve ser consumida com moderação, procurando reduzir a quantidade de carne, peixe e batatas. Assegure que existe uma abundância de verduras a acompanharem a refeição, como o esparregado.
 

Os doces de Natal devem ser consumidos com moderação. Pode fazer algumas alterações saudáveis na confeção dos doces, como por exemplo cozinhar as rabanadas no forno. O tradicional ananás no fim da refeição, para além de ser rico em vitaminas, é benéfico para a digestão.
 

Tenha um especial cuidado com o consumo de frutas cristalizadas e frutos secos. As frutas cristalizadas apresentam grandes quantidades de açúcar e os frutos secos, apesar de serem ricos em vitaminas e minerais, são muito calóricos e ricos em gorduras.
 

Finalmente, não passe fome o dia inteiro para poder depois desfrutar da mesa de Natal. Respeite as 5 ou 6 refeições diárias. Irá assim minimizar o risco de cometer excessos alimentares.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.