Um ano depois, transplante de mão proveniente de um cadáver foi um sucesso
17 agosto 2000
  |  Partilhar:

Um trabalho publicado na edição de quinta-feira do New England Journal of Medicine e difundido pela agência Reuters, documenta que um homem americano de 38 anos, que tinha recebido, em Janeiro de 1999, a mão de um cadáver de um homem de 58 anos, já pode sentir estímulos de temperatura e dor, escrever e realizar diversas tarefas.
 

 

Este é o segundo transplante do género. O primeiro tinha sido feito em França em 1998.
 

 

O sucesso deste transplante é atribuído ao uso de drogas imunosupressoras, que são drogas capazes de suprimir a resposta do sistema imunológico a tudo o que é estranho (como a mão proveniente de outro organismo, a qual é reconhecida como estranha).
 

 

As drogas imunosupressoras utilizadas para este fim têm importantes efeitos laterais, que chegam a colocar em perigo a vida do paciente.
 

 

Aguarda-se o desenvolvimento de fármacos mais seguros para que este tipo de transplante possa ser utilizado em larga escala. Até lá, os investigadores consideram que o candidato ideal para este tipo de procedimento é uma pessoa que já toma medicamentos imunosupressores por outro motivo ou que perdeu ambas as mãos, especialmente se for um(a) cego(a).
 

 

Antes de receber o transplante, este homem tinha uma prótese que não lhe permitia realizar o tipo de tarefas que se tornaram agora possíveis, além de não poder ter sensações de temperatura, pressão e dor.
 

 

Este resultado é muito importante porque se trata da utilização de um membro de outro organismo- a recolocação de membros do próprio já vem sendo feita desde 1964.
 

 

Fonte: Reuters

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.