Tumor cerebral em crianças: desenvolvimento pode ser impedido

Estudo publicado na revista “Developmental Cell”

07 outubro 2014
  |  Partilhar:

Investigadores canadianos identificaram um mecanismo que promove a progressão do meduloblastoma, o cancro do cérebro mais comum nas crianças, dá conta um estudo publicado na revista “Developmental Cell”.
 

Os investigadores do Instituto de Investigação Clínica de Montreal, no Canadá, descobriram uma proteína, Sonic Hedgehog, que induz danos no ADN e causa o desenvolvimento do cancro. A Sonic Hedgehog pertence a uma família de proteínas que fornece às células a informação necessária para que o embrião se desenvolva adequadamente. Esta proteína desempenha também um papel importante na tumorogenese, o processo que transforma as células saudáveis em cancerígenas.
 

Neste estudo, os investigadores, liderados por Frédéric Charron, centraram-se no estudo da proteína Boc, um recetor encontrado na superfície das células que deteta a Sonic Hedgehog. Estudos anteriores realizados pela mesma equipa de investigadores já tinham demonstrado que a Boc é importante no desenvolvimento do cerebelo, a zona do cérebro onde o meduloblastoma surge.
 

Neste estudo, os investigadores verificaram agora que a Boc é necessária para que a Sonic Hedgehog induza danos no ADN. De facto, a Boc causa mutações no ADN das células tumorais que induzem a progressão das lesões pré-cancerosas no meduloblastoma avançado.
 

O estudo apurou que quando a Boc era inativada o número de tumores era reduzido em cerca de 66%. “A inativação da Boc reduz assim o desenvolvimento do meduloblastoma em tumores avançados”, revelou, em comunicado de imprensa, Frédéric Charron.
 

Os tratamentos atuais do meduloblastoma incluem cirurgia, assim como radioterapia e quimioterapia. Apesar de a maioria das crianças sobreviverem ao tratamento, a radioterapia danifica as células cerebrais saudáveis provocando danos a longo prazo.
 

“Como resultado, muitas crianças sofrem efeitos secundários sérios, incluindo danos cognitivos e doenças. Os nossos resultados sugerem que a Boc tem potencial para ser o alvo de novos alvos terapêuticos que poderão impedir o crescimento e progressão do meduloblastoma e reduzir os efeitos secundários dos atuais tratamentos”, conclui o investigador.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.