Tuberculose: erradicação da doença até 2050

Apelo da Organização Mundial de Saúde

07 julho 2014
  |  Partilhar:

A Organização Mundial de Saúde (OMS) apelou a 33 países com baixa incidência de tuberculose, entre os quais se encontram as maiores economias do mundo, para adotarem um novo plano para a erradicação da doença até 2050.
 

A notícia avançada pela agência Lusa refere que atualmente, nestes países e territórios, como a Alemanha, França, Itália, Canadá, Estados Unidos ou os Emirados Árabes Unidos, são registados em média menos de 100 novos casos de tuberculose por cada milhão de habitantes.
 

“Na maioria destes países, a opinião pública pensa que a doença não existe mais”, referiu o diretor do programa da OMS para a luta contra a tuberculose, Mario Raviglione.
 

No entanto, o representante da agência da ONU, refere que 155 mil pessoas ainda contraem a doença e 10 mil morrem anualmente nestes 33 países e territórios. Adicionalmente, milhões de pessoas são portadoras do bacilo da tuberculose sem o saberem e correm o risco de ficarem doentes.
 

Neste novo plano, a OMS define uma fase inicial de “pré-eliminação”, que consiste na redução do número anual de novos casos de tuberculose, de menos 100 casos para menos de 10 casos por cada milhão de habitantes, até 2035. O objetivo final será a erradicação da doença em 2050, com o registo de menos de um caso anual por cada um milhão de habitantes.
 

“Os países com baixa incidência estão numa posição ideal para fazer descer as taxas a um nível nunca alcançado”, referiu Mario Raviglione.
 

O representante referiu que alguns países europeus, como Portugal e Espanha, não estão considerados neste plano porque "têm taxas tradicionalmente mais altas do que o resto da Europa ocidental", apesar de registarem igualmente uma redução. Em Portugal, a incidência é de 340 novos casos anuais por milhão de habitantes e em Espanha esse número é de 170.
 

O plano da OMS pede às autoridades destes 33 países para assegurarem, entre outros aspetos, o financiamento dos programas de luta contra a tuberculose, a promoção da investigação e o reforço da identificação da doença entre os grupos considerados de risco, onde estão incluídos os imigrantes, os reclusos, os sem-abrigo, os toxicodependentes, as pessoas que tomam imunossupressores e as pessoas que sofrem de subnutrição ou de diabetes.
 

A OMS apela ainda para um reforço significativo dos serviços de prevenção e de tratamento da tuberculose nos países mais pobres.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.