Treze europeus «hibernam» na Antártida

Investigação pretende respostas desde a glaciologia à medicina

11 maio 2005
  |  Partilhar:

 

 

Doze homens e uma mulher iniciaram uma longa noite glacial numa estação antárctica franco-italiana onde viverão uma experiência de «hibernação» em regime de auto-suficiência total, sob condições extremas e sem possibilidade de salvamento do exterior.
 

 

Prisioneiros do frio e da noite a 3.600 quilómetros de altitude, os membros da equipa viverão até Novembro nos dois edifícios cilíndricos assentes em estacaria da estação «Concórdia», cuja superfície habitável tem 1.500 metros quadrados.
 

 

Resultado da colaboração entre o Instituto Polar Paul-Emile Victor francês (IPEV, com sede em Brest) e o seu homólogo italiano, Programma Nazionale di Ricerche in Antarctide (PNRA, Roma), a estação foi construída por 32 milhões de euros num local onde se encontrava já uma estação ocupada no Verão.
 

 

Durante a experiência, a equipa testará e validará as instalações de hibernações e procederá a investigações em vários domínios, nomeadamente em glaciologia, astronomia, climatologia e medicina. Em Medicina, por exemplo, será examinada, a vários níveis, a adaptação do homem às condições hostis, tais como frio, altitude ou isolamento.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar