Travar a miopia: maior ensaio clínico está em curso

Estudo da Universidade do Minho

28 novembro 2012
  |  Partilhar:

“O maior ensaio clínico mundial” para encontrar um dispositivo médico que trave a progressão da miopia está a ser realizado pelo Centro de Física da Universidade do Minho (UMinho).
 

O coordenador do Laboratório de Investigação em Optometria Clínica e Experimental da UMinho, José González-Méijome, explicou à Lusa que em causa estão lentes de contacto gelatinosas, que deverão ser usadas em crianças dos 8 aos 12 anos, “que é a idade em que a miopia se desenvolve mais rapidamente”.
 

“Se funcionarem como se espera, as lentes levarão a que o olho cresça menos e a miopia evolua menos, prevenindo alterações mais severas que podem comprometer a visão definitivamente, conduzindo à cegueira”, explicou.
 

As lentes serão descartáveis e a ideia é que sejam usadas sobretudo no período mais crítico da evolução da miopia, situado entre os 8 e os 12 anos de idade.
 

Esta investigação envolve seis centros de todo o mundo (Portugal, Canadá, Reino Unido (dois), Singapura e Hong Kong) e um universo de mais de 300 crianças.
 

Segundo um comunicado da UMinho, a participação desta universidade no ensaio deve-se à “relevância internacional” da investigação nesta área realizada no seu Laboratório de Investigação em Optometria Clínica e Experimental (CEORLab), à experiência de quase 25 anos da licenciatura em Optometria e ao recente mestrado em Optometria Avançada a partir do qual se têm formado jovens investigadores.
 

A miopia atinge cerca de um terço da população europeia e mais de 70% em muitos países asiáticos.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.