Tratamento para a Disfunção Eréctil em diabéticos

European Society for Sexual Medicine premeia projecto

19 novembro 2007
  |  Partilhar:

 

A descoberta de uma terapia para a Disfunção Eréctil (DE) em diabéticos é o objectivo de um projecto de investigação inédito que vai ser realizado por dois especialistas portugueses da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) e que já mereceu uma distinção pela European Society for Sexual Medicine.
 

 

Os homens diabéticos têm uma probabilidade acrescida de virem a sofrer de DE, comparativamente com um homem sem Diabetes. Isto acontece devido aos problemas de vascularização (resultantes da Diabetes) e que começam por afectar os tecidos vasculares dos membros e também do pénis.
 

 

Carla Costa, do Laboratório de Biologia Celular e Molecular, e Pedro Vendeira, do Serviço de Urologia, da FMUP, propuseram-se a estudar, numa primeira fase, o tecido peniano de animais de laboratório manipulados (para apresentarem a doença), avaliando as alterações que ocorriam a nível vascular, molecular e anatómico.
 

 

Agora, os cientistas pretendem avançar para uma etapa verdadeiramente inovadora: testar uma nova terapia que visa restaurar a função vascular do pénis.
 

 

Os dois investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto receberam 30 mil euros da European Society for Sexual Medicine para financiar a investigação e também obtiveram mais de 100 mil de financiamento por parte da Fundação para a Ciência e Tecnologia.
 

 

Para desenvolver esta nova terapêutica, os dois cientistas vão utilizar células progenitoras vasculares, que derivam de células estaminais. Essas células, produzidas na medula óssea, têm a capacidade de se expandirem muito rapidamente e de se diferenciarem em células endoteliais vasculares.
 

 

Os investigadores vão recolhê-las de ratinhos saudáveis e expandi-las em cultura, promovendo a sua diferenciação. Estas células serão depois implantadas directamente no pénis dos roedores com Diabetes de tipo I, esperando-se idealmente que revascularizem o tecido danificado.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.