Tratamento de doenças hepáticas poderá ser melhorado

Estudo publicado na revista “Nature Medicine”

08 março 2012
  |  Partilhar:

Investigadores da University of Edinburgh, na Escócia, descobriram como aumentar a produção de um tipo de células que são essenciais para a regeneração do tecido do fígado, o que pode ajudar no tratamento de doenças hepáticas como a cirrose ou a hepatite crónica, dá conta um estudo publicado na “Nature Medicine”.

 

Quando o fígado sofre danos produz muitas células do ducto biliar e um insuficiente número de hepatócitos, um tipo de células que desintoxica este órgão e é responsável pela reparação de tecido danificado.

 

Neste estudo os investigadores, liderados por Stuart Forbes, descobriam uma forma de aumentar o número de hepatócitos através da alteração da expressão de determinados genes, durante os estádios iniciais do desenvolvimento destas células.

 

De acordo com os autores do estudo, o conhecimento do processo através do qual estas células do fígado se formam poderá ajudar no desenvolvimento de fármacos capazes de estimular a produção de hepatócitos para reparar o tecido do fígado danificado. Assim, os cientistas esperam que, a longo prazo, esta descoberta contribua para diminuir a lista de espera de transplantes de fígado.

 

No Reino Unido, as doenças hepáticas são a quinta maior causa de morte e atualmente existem 500 pacientes à espera de um transplante, em comparação com os 300 que existiam há cinco anos atrás.

 

“Os transplantes de fígado salvaram um número incontável de vidas ao longo dos anos, mas a procura vai superar a oferta e a longo prazo precisamos de explorar o potencial regenerativo do corpo humano”, revelou um outro autor do estudo, Rob Buckle.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.