Tratamento da doença celíaca pode estar perto

Estudo publicado na “Nature”

11 fevereiro 2011
  |  Partilhar:

Investigadores americanos verificaram que a molécula IL-15 poderá despoletar a resposta auto-imune associada à doença celíaca nos indivíduos que são geneticamente mais predispostos, sugere um estudo publicado na “Nature”.

 

A doença celíaca, um distúrbio digestivo que afecta uma em cada 100 pessoas, é provocada por uma sensibilidade ao glúten, o qual está presente no trigo, cevada ou centeio. A ingestão desta proteína pode desencadear uma reacção auto-imune no intestino, em pessoas geneticamente susceptíveis, a qual impede a absorção normal dos nutrientes e provoca vários sintomas que incluem diarreia, desconforto abdominal, perda de peso, anemia, infertilidade inexplicada, perda de dentes ou, mesmo, osteoporose prematura ou grave.

 

Até agora, o único tratamento disponível é a suspensão do glúten da alimentação. Contudo, os pacientes melhoram apenas parcialmente com a adopção desta dieta. Adicionalmente, esta é uma dieta difícil de ser seguida e dispendiosa. Desta forma há um interesse crescente na procura de terapias alternativas, como o desenvolvimento de uma vacina capaz de prevenir o desenvolvimento da doença em indivíduos geneticamente predispostos.

 

Neste estudo os investigadores do Digestive Disease Research Core Center da University of Chicago, nos EUA, examinaram os registos dos pacientes com doença celíaca, que tinham sido atendidos naquele centro, tendo verificado que estes apresentavam elevados níveis de IL-15 nos seus intestinos. Após terem desenvolvido um modelo animal para o estudo desta doença, os investigadores liderados por Bana Jabri constaram que, quando aumentaram os níveis desta molécula sinalizadora, nos intestinos dos ratinhos, estes desenvolveram todos os sintomas iniciais da doença. Contudo, quando bloquearam a IL-15 os sintomas melhoraram e os animais conseguiram tolerar de novo o glúten.

 

Bana Jabri explica, em comunicado, que já estão a decorrer ensaios clínicos que envolvem o uso de fármacos capazes de bloquear a IL-15 em pacientes com artrite reumatóide, uma outra patologia inflamatória, e cujos resultados se têm revelado animadores. Assim, o bloqueio desta proteína ou da sua via de sinalização poderá ser uma forma de restaurar a tolerância oral ao glúten e permitir uma resposta eficaz às vacinas destinadas a prevenir o desenvolvimento da doença celíaca.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 3 Comentar

Doença Celiaca

Que bom que a medicina esta avançando nesta doença, pois é uma vergonha a desinformação dos médicos a respeito desta doença. Minha mãe morreu disto sem saber pois a doença nunca foi diagnosticada apesar de possuir todos os sintomas clássicos da doença. Somente quando eu descobrí que eu era celiaco é que fiquei sabendo porque ela morreu. Ainda no mes passado, 05/2011 consultei uma dermatologista e comentei que era celiaco e ela não sabia o que era isto. hehehe, lamentavel!!!!!!

doença celiaca

Foi a melhor noticia que tive nesse ultimo ano, pois faz exatamente um ano que descobrimos que minha filha tem a doença celiaca, quase a perdemos por exestirem médicos tao mal informados sobre essa doença, mas graças a Deus tudo "passou", tenho muita fé em Deus que nao vai demorar para nossas vidas voltarem ao normal, pois é muito desconfortavel e trabalhoso manter esta dieta diariamente. Aguardo anciosa mais novidades.

muito bom

gostei muito de ter lido este artigo, fiquei muito feliz, minha filha tem esse mesmo problema com glutén, e acaba sendo chato agente sair pra uma festa, ou ir em um restaurante ou pizzaria, sempre tendo que levar algum alimento de casa para que ela nos acompanhe, mais é muito bom saber que existem pessoas se dedicando aos estudos para encontrar uma solução para a doença celíaca, e gostaria de receber em meu email sempre novidades,
parabéns pelo artigo.

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.