Tratamento a instabilidade do joelho pode prevenir quedas em idosos

Estudo publicado no “Arthritis Care & Research”

11 fevereiro 2016
  |  Partilhar:

A instabilidade do joelho em pessoas idosas pode indicar um risco acrescido de queda e dos concomitantes efeitos físicos e psicológicos da mesma. Como tal, identificar os tratamentos mais eficazes para a instabilidade do joelho deve ser uma prioridade importante na gestão da saúde dos pacientes idosos, revela um estudo norte-americano publicado na “Arthritis Care & Research”.
 

Sintomas de “cedência” do joelho revelam instabilidade no mesmo, algo que afeta particularmente idosos com dores e artrose no joelho. Na base desta instabilidade podem estar fraqueza muscular e problemas de equilíbrio. Se a instabilidade do joelho é uma causa frequente de quedas e outras lesões decorrentes das mesmas, será importante os prestadores de cuidados investirem em exercícios e outras intervenções que promovam a estabilidade do joelho em pessoas idosas, de forma a estas poderem manter tanto a sua saúde como qualidade de vida.
 

Para investigar esta relação, Michael Nevitt, cientista da Universidade da Califórnia, nos EUA, e seus colegas estudaram 1.842 participantes no estudo Osteoartrite Multicentro. Os indivíduos tinham uma média de 67 anos de idade no início do mesmo e encontravam-se em elevado risco de artrose no joelho.
 

Ao fim de cinco anos, 16,8% dos participantes relatou sentir os joelhos a “ceder” e, ao fim de sete anos, 14,1% apresentou quedas recorrentes. Aqueles que relataram sentir os joelhos a “ceder”, ao fim do quinto ano do estudo, apresentaram 1,6 a 2,5 vezes maior probabilidade de quedas recorrentes, medo de cair e pouca confiança em termos de equilíbrio no sétimo ano da investigação. Aqueles que tinham caído devido a “cedência” dos joelhos no início do estudo apresentaram uma probabilidade 4,5 vezes maior de quedas recorrentes, duas vezes maior de lesões significativas decorrentes das quedas, três vezes maior de lesões que limitassem a sua atividade dois anos mais tarde, e uma probabilidade quatro vezes maior de problemas de equilíbrio.
 

De acordo com os cientistas, o estudo agora apresentado demonstrou pela primeira vez que a instabilidade do joelho e a “cedência” do mesmo são uma das causas mais importantes responsáveis por quedas, lesões provocadas por quedas e pela pouca confiança no equilíbrio em grande parte da população idosa que sofre de dores no joelho.
 

“Felizmente é possível tratar a instabilidade do joelho e prevenir a ‘cedência’ do mesmo através de exercícios direcionados. A cirurgia de substituição de articulações pode aumentar igualmente a estabilidade do joelho”, adianta Nevitt.
 

O impacto mais imediato dos achados deste estudo é, na opinião dos seus autores, sensibilizar os profissionais de saúde para a importância de questionar os seus pacientes com artroses nos joelhos acerca de sintomas de instabilidade ou “cedência” do joelho e quedas, para poderem tomar medidas preventivas, incluindo através da prescrição de apoios à marcha, reforço muscular nas pernas e aconselhamento de calçado adequado.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.