Transformação de hospitais públicos em EPE significou melhoria da eficiência “pouco expressiva”

Estudo do Banco de Portugal

16 abril 2008
  |  Partilhar:

Os hospitais públicos que foram transformados em hospitais-empresa, no âmbito da reforma da saúde de 2002, aumentaram a sua eficiência após essa alteração, conclui um estudo de Sara Moreira, do departamento de estudos económicos do Banco de Portugal.
 

 

O estudo divulgado esta semana teve como objectivo comparar o desempenho dos hospitais que se mantiveram dentro do sector das administrações públicas com aqueles que foram transformados em hospitais-empresa, utilizando critérios de eficiência técnica, não tendo em conta a qualidade dos serviços prestados.
 

 

"Os resultados evidenciam ganhos de eficiência dos hospitais-empresa face aos hospitais que foram mantidos dentro das administrações públicas", pode ler-se no documento que faz parte do boletim económico de Primavera do Banco de Portugal, citado pela Lusa. No entanto, refere Sara Moreira, as diferenças de eficiência "estão longe de ser expressivas".
 

 

A análise mostra que os hospitais EPE eram menos eficientes do que os do sector do Estado antes da reforma e que nos anos seguintes melhoraram o seu desempenho. Como a situação de partida era pior, os resultados podem ter sido enviesados por isso, conclui a economista, da mesma maneira que o facto de os hospitais-empresa terem mais cuidado no reporte da informação pode também ter tido consequências nos resultados finais.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.