Trabalho em excesso aumenta risco de doença cardíaca

Estudo publicado no "Annals of Internal Medicine”

12 abril 2011
  |  Partilhar:

As pessoas que trabalham normalmente muitas horas podem ter um risco significativamente maior de desenvolver doenças cardíacas, que são as que provocam mais morte no mundo, de acordo com um estudo britânico.
 

O estudo refere que passar mais de onze horas por dia a trabalhar - em oposição às 7 ou 8 horas regulares - aumenta o risco em 67%.
 

De acordo com especialistas, as informações do estudo, publicado no "Annals of Internal Medicine”, pode ajudar médicos a determinar o risco que um paciente tem de apresentar um problema cardíaco, tendo em conta factores suplementares, tais como pressão arterial, diabetes ou tabagismo.
 

No entanto, os autores advertem que ainda não é claro se as longas horas de trabalho eram em si um factor que contribuía para aumentar o risco cardíaco ou se estas favoreciam outros factores que podem prejudicar o coração, tais como hábitos alimentares pouco saudáveis, falta de exercício ou depressão.
 

As doenças cardiovasculares, como enfartes agudos do miocárdio ou acidentes vasculares cerebrais, matam cerca de 17,1 milhões de pessoas por ano, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Assim, os resultados deste estudo corroboram pesquisas anteriores que mostram uma ligação entre o horário de trabalho e doenças cardíacas. "As pessoas que trabalham muitas horas devem ter um cuidado especial e seguir uma alimentação saudável, fazer exercício físico e manter a pressão arterial, o colesterol e os níveis de açúcar dentro dos níveis saudáveis", apontou, em comunicado, a especialista Mika Kivimaki, da Universidade College London, que liderou o estudo.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar