Toxicodependentes têm dificuldade em perceber emoções dos outros

Estudo do Laboratório de Expressão Facial da Emoção

10 novembro 2006
  |  Partilhar:

 

Os toxicodependentes em Período de Abstinência têm dificuldade em identificar, nas expressões faciais das outras pessoas, emoções básicas, como a alegria ou a tristeza, revela um estudo científico português.
 

 

Designado "Expressão facial o reconhecimento das emoções básicas em toxicodependentes - estudo empírico com portugueses", este trabalho visou perceber até que ponto os dependentes de heroína, em Período de Abstinência, conseguiam identificar emoções básicas. Segundo o director do Laboratório de Expressão Facial da Emoção (FEELab), Freitas-Magalhães, "os heroinómanos têm défices cognitivos na identificação das emoções básicas" - a alegria, a tristeza, a surpresa, o medo, a cólera e a aversão.
 

 

O estudo incidiu sobre o período mais grave de abstinência (entre as 24 e as 72 horas sem consumo de estupefacientes) e revelou que os toxicodependentes apresentam confusão mental e pouca capacidade de reconhecer emoções.
 

 

Os resultados também confirmam que as mulheres são mais espontâneas na identificação e caracterização das emoções básicas do que os homens, independentemente de consumirem ou não estupefacientes. O investigador explicou ainda que as mulheres identificam mais facilmente as emoções positivas e os homens conseguem perceber melhor as negativas.
 

 

Fonte: Lusa
 

MNI-Médicos Na Internet
 

 

 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.