«Tosse do World Trade Center»

Mais de 300 bombeiros sofrem de diversos problemas pulmonares persistentes

15 setembro 2002
  |  Partilhar:

Mais de 300 bombeiros que trabalharam nas ruínas das Torres Gémeas, entre os quase 11 mil que sobreviveram às operações de resgate, sofrem de diversos problemas pulmonares devido à inalação de vários materiais, um síndrome que foi baptizado de a «Tosse do World Trade Center».
 

 

 

Um estudo, publicado na última edição de The New England Journal of Medicine, analisou os registos médicos de 10.116 bombeiros que trabalharam na zona zero. O trabalho, realizado por investigadores do Departamento de Bombeiros de Nova Iorque, mostra que 332 sofrem de uma tosse persistente, o que os obrigou a ficar pelo menos quatro semanas de baixa.
 

 

Quase dois terços dos bombeiros sofreram também durante as operações de resgate de irritação ocular, do nariz e da garganta. Entre os estudante que estavam situados a mais de seis quilómetros da zona dos atentados (o grupo de controle durante a investigação), um terço teve os mesmos problemas.
 

 

O departamento de bombeiros calcula que cerca de 500 trabalhadores finalmente receberam baixa permanente como consequência da «Tosse do World Trade Center».
 

 

Na investigação, a primeira deste tipo que é levada a cabo, também participaram especialistas do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças de Atlanta (EEUU).
 

 

Fonte:Diário Digital
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.