Torpor ao despertar afecta mais o cérebro que a falta de sono

Estudo publicado no Journal of the American Medical Association

02 junho 2006
  |  Partilhar:

 

O estado de inércia passageiro sentido por quem desperta de um sono profundo afecta mais as capacidades mentais do que a falta de sono ou a embriagues, indica um estudo publicado no Journal of the American Medical Association (JAMA).
 

 

Uma equipa de investigadores chefiada por Kenneth Wright, do departamento de Psicologia da University of Colorado at Boulder (Colorado), procedeu a testes de agilidade mental e memória de curto prazo a um grupo de pessoas durante uma semana. Os psicólogos constataram que os indivíduos testados logo depois de despertarem de um sono normal de oito horas ou de um período mais curto de sono profundo tinham desempenhos piores do que os que não dormiam há 24 horas.
 

 

Os indivíduos estudados mostraram-se mais inaptos a efectuar cálculos mentais simples ou outros testes elementares durante os três primeiros minutos seguintes ao despertar. Os efeitos desse entorpecimento, conhecido como inércia do sono, dissipam-se em geral em dez minutos, mas continuam a sentir-se durante um período de duas horas, segundo este investigador.
 

 

Fontes: Lusa e Imprensa Internacional
 

MNI- Médicos na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.