Tomografia afecta o cérebro do bebé

Estudo alerta para uma avaliação dos riscos e benefícios

13 janeiro 2004
  |  Partilhar:

Médicos na Suécia alertam sobre os perigos do exame de tomografia computorizada para detectar problemas nos cérebros de bebés.
 

Um grupo de investigadores estudou mais de três mil bebés do sexo masculino que fizeram exame tomográfico antes dos 18 meses de idade e descobriram que muitos desenvolveram problemas de aprendizagem.
 

Num comunicado publicado no British Medical Journal, os cientistas pedem para que sejam adoptadas novas directrizes.
 

A tomografia computorizada usa radiação ionizada ao fotografar o interior do corpo humano, para obter resultados mais pormenorizados que os tradicionais exames de raio-X. E nos últimos anos, os médicos começaram a usar tomografia computorizada em bebés.
 

Estudos anteriores já sugeriam que altas doses de radiação ionizada poderia afectar o desenvolvimento do cérebro humano. Agora, médicos do Instituto Karolinska, em Estocolmo, na Suécia, decidiram verificar se as doses baixas da radiação teriam um efeito semelhante.
 

Descobriram então que quanto mais alta a dose de radiação, maior a probabilidade dessas pessoas sofrerem futuros problemas de aprendizagem ou até mesmo abandonar a escola.
 

«A tomografia computorizada, que transmite uma alta dose de radiação, está a ser cada vez mais usada, mesmo em crianças pequenas após uma pequena batida na cabeça.» E, segundo o comunicado, os riscos e benefícios deste exame precisam ser reavaliados.
 

Traduzido e adaptado por:
 

Paula Pedro Martins
 

Jornalista
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.