Toma prolongada de antiácidos associada a deficiências da vitamina B12

Estudo publicado no “Journal of the American Medical Association”

13 dezembro 2013
  |  Partilhar:

A toma prolongada de fármacos para o tratamento da azia e úlceras está associada a um maior risco de deficiência da vitamina B12, dá conta um estudo publicado no “Journal of the American Medical Association”

 

Quando não é tratada, a deficiência em vitamina B12 pode aumentar o risco de demência, danos das células nervosas, anemia e outras complicações clínicas, alguma das quais podem ser irreversíveis.

 

Neste estudo, os investigadores do Kaiser Permanente Division of Research, nos EUA, analisaram os registos médicos de 25.956 adultos, os quais tinham sido diagnosticados, entre 1997 e 2011, com deficiência em vitamina B12, e 184.199 indivíduos sem deficiência desta vitamina.

 

O estudo apurou que os indivíduos que tomaram, ao longo de mais de dois anos, antiácidos (inibidores da bomba de protões), apresentavam um risco 65% maior de ter deficiências nos níveis de vitamina B12. Doses elevadas destes fármacos foram, comparativamente com doses mais baixas, associadas a um aumento deste risco.

 

Enquanto os inibidores da bomba de protões e outro tipo de antiácidos conhecidos por agonistas do recetor da histamina 2 são habitualmente prescritos pelos médicos, alguns não necessitam de receita médica.

O estudo apurou que dos 25.956 pacientes com deficiências nos níveis de vitamina B12, 12% tomavam inibidores da bomba de protões há pelo menos dois anos, comparativamente com os 7,2% dos indivíduos incluídos no grupo de controlo. O impacto da toma diária dos agonistas do recetor da histamina 2 foi menos pronunciado, mas também significativo, 4,2% dos pacientes com níveis deficientes da vitamina B12 tomavam estes medicamentos, contra os 3,2% dos indivíduos do grupo de controlo.

 

“Este estudo questiona se os indivíduos que tomam antiácidos há já algum tempo deveriam ser submetidos a um teste para aferir os níveis de vitamina B12. Este é um teste sanguíneo relativamente simples. Por outro lado, a toma de suplementos de vitamina B12 poderá ser uma forma eficaz de controlar níveis deficientes desta vitamina”, conclui um dos autores do estudo, Douglas A. Corley.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.