Toma de suplementos de cálcio e vitamina D é questionada

Estudo publicado na “The Oncologist”

14 agosto 2012
  |  Partilhar:

A prescrição de suplementos de cálcio e vitamina D para os homens em risco de osteoporose motivado pelos tratamentos contra o cancro da próstata é uma prática comum. Contudo, este novo estudo publicado na revista “The Oncologist” refere que este tipo de suplementos não impede a osteoporose e, na realidade, aumenta o risco de doença cardiovascular e cancro da próstata agressivo.

 

A terapia de privação de androgénios é o tratamento mais comum para os homens com cancro da próstata em fase avançada. Esta reduz os níveis séricos de androgénios, dos quais a maioria dos cancros da próstata depende. Tal como as mulheres na menopausa, um dos efeitos secundários deste tipo de terapia é a osteoporose. Desta forma, muitos médicos recomendam a toma de suplementos de cálcio e vitamina D para reduzir o risco de fraturas ósseas nos homens. Na verdade, um em cada 10 homens sofre uma fratura ao longo de dois anos de terapia.

 

“A toma de suplementos de cálcio e ou vitamina D para a prevenção da densidade mineral óssea sempre pareceu algo lógico, não tendo ninguém questionado se tinha realmente efeito”, revelou em comunicado de imprensa, o coautor do estudo, Mridul Datta.

 

Neste estudo, liderado por Gary G. Schwartz, os investigadores fizeram uma revisão das recomendações da toma deste tipo de suplementos, assim como do resultado de 12 ensaios clínicos, que incluíram a participação de 2.399 homens com cancro da próstata que estavam a fazer terapia de privação de androgénios.

 

O estudo apurou que as doses habitualmente recomendadas, 500 a 1000 mg de cálcio e 200 a 500 UI de vitamina D, por dia, não impediam a perda mineral óssea.

 

“A falta deste benefício óbvio é preocupante, pois outros dados mostraram uma associação entre aumento de cálcio na dieta e um aumento do risco de cancro de próstata agressivo e doença cardíaca”, disse Gary G. Schwartz.

 

O investigador conclui que são necessários mais estudos para confirmar estes resultados. Assim, a toma rotineira de suplementos de cálcio e vitamina D deve ser avaliada.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.