Toma de anti-hipertensores à noite reduz risco de diabetes tipo 2

Estudos publicados na revista “Diabetologia”

28 setembro 2015
  |  Partilhar:
A toma de medicamentos para diminuir a pressão arterial ao deitar, em vez de manhã, reduz a pressão arterial durante o sono e também reduz para metade o risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2, sugerem dois estudos publicados na revista “Diabetologia”.
 
Para os estudos os investigadores da Universidade de Vigo, Espanha, contaram com a participação de 2.012 pacientes com hipertensão sem diabetes, dos quais 976 eram homens e 1.036 eram mulheres com uma média de 53 anos. 
 
Os pacientes foram aleatoriamente convidados a tomar os medicamentos para a hipertensão após terem acordado ou a dose total de um ou mais medicamentos ao deitar. Ao longo de uma média de período de acompanhamento de seis anos, 171 pacientes desenvolveram diabetes tipo 2. 
 
O estudo apurou que, comparativamente com os indivíduos que tomaram a medicação de manhã, os que a tomaram ao deitar apresentaram uma média da pressão arterial significativamente menor durante o sono, o que correspondeu a um maior declínio da pressão arterial.
 
Nos que tomaram a medição ao deitar houve uma menor prevalência de casos em que a pressão arterial durante a noite diminui menos de 10% comparativamente com os valores atingidos durante o dia. Este fenómeno ocorreu em 32% dos pacientes que tomaram a medicação à noite e em 52% daqueles que tomaram de manhã.
 
Os investigadores verificaram também que ocorreu uma diminuição de 57% no risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2 no grupo que tomou a medicação à noite. Estes resultados mantiveram-se inalterados após os investigadores terem tido em conta fatores como glucose em jejum, perímetro abdominal, média da pressão arterial sistólica durante o sono e doença crónica renal.
 
O estudo constatou que houve uma maior redução do risco de desenvolver diabetes para os que receberam o tratamento com bloqueadores do recetor da angiotensina (61%), inibidores da enzima de conversão da angiotensina (69%) e beta-bloqueadores (65%) ao deitar do que ao acordar.
 
Estes medicamentos modulam ou bloqueiam o efeito da angiotensina II, uma hormona que causa não só a vasoconstrição e aumenta a pressão arterial, como também contribui para o aumento da libertação da glucose do fígado e a diminuição da sensibilidade à insulina.
 
Os autores concluem que tomar medicamentos anti-hipertensores antes de dormir é tão seguro como tomá-los de manhã. "Em pacientes hipertensos sem diabetes, a toma da dose diária total de medicamentos para diminuir a pressão arterial ao deitar comparativamente com a ingestão de todos os medicamentos ao despertar melhorou significativamente a pressão arterial durante o sono e preveniu o início da diabetes".
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.