Teste de glicemia em jejum é o melhor para diagnosticar diabetes em crianças

Estudo publicado no “Journal of Pediatrics”

23 março 2011
  |  Partilhar:

Na prática clínica usa-se cada vez mais o teste de glucose hemoglobina A1c (que mede os níveis de açúcar no sangue a longo prazo sem a necessidade de haver jejum). Mas um estudo realizado pelo Hospital de Michigan CS Mott Children's, nos EUA, mostra que para diagnosticar a diabetes e pré-diabetes em crianças, essa não é a melhor maneira.

 

"Descobrimos que a hemoglobina A1c não é um teste tão fiável para identificação de crianças com diabetes e pré-diabetes em comparação com adultos", disse, em comunicado, Joyce M. Lee, endocrinologista pediatra do Hospital Infantil Mott e autora do estudo publicado no “Journal of Pediatrics”.

 

Os investigadores do Mott avaliaram os resultados do teste realizado a 1.156 adolescentes obesos e com excesso de peso, com idades entre os 12 e os 18 anos. De acordo com as orientações, os pacientes sem sintomas seriam classificados como tendo diabetes se chegassem a valores de HbA1c de 6,5% e como tendo pré-diabetes, se o HbA1c atingisse valores entre 6 e 6,4%, em dois testes separados. Mas nas crianças, essa percentagem deverá ser mais baixa.

 

Outros exames, como a glicemia em jejum e a glicemia duas horas após a ingestão de alimentos têm sido invocados pelos médicos para diagnosticar a diabetes nos adultos e nas crianças, mas, desde que surgiu o teste de hemoglobina A1c, os outros dois exames foram preteridos. "Com base nos resultados do estudo, um teste de glicemia em jejum ainda deve ser usado para diagnosticar a diabetes em crianças", assegurou a líder da investigação.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.