Teste ao sangue revela sexo do feto no início da gravidez

Estudo publicado na “Obstetrics & Gynecology”

25 janeiro 2010
  |  Partilhar:

Os pais que querem saber o sexo do seu bebé antes do nascimento normalmente descobrem-no através da ecografia realizada no segundo trimestre de gravidez. Investigadores holandeses descobriram recentemente um teste ao sangue que pode ser realizado no início da gravidez e que é altamente preciso na determinação do sexo do feto.

 

Na opinião dos investigadores da Sanquin Research Amsterdam, na Holanda, este teste é importante, dado que, em alguns casos, há necessidade de saber o sexo do feto por razões médicas e isso tem sido feito através de teste invasivos, como a amniocentese, que acarreta um pequeno risco de aborto.

 

Consequentemente, têm sido desenvolvidos, nos últimos anos, testes sanguíneos que determinam marcadores do sexo do feto mas que apresentam uma precisão variável, que é dependente do método utilizado.

 

Neste estudo publicado no “Obstetrics & Gynecology”, os investigadores analisaram o sangue de 201 grávidas, colhido entre 2003 e 2009. O teste, realizado na sétima semana de gravidez, detecta os dois genes que determinam o sexo do feto, os quais estão localizados no cromossoma sexual Y.

 

Uma vez que só os homens têm o cromossoma Y, quando os dois genes são detectados nas amostras de sangue das grávidas isso significa que o feto é do sexo masculino. Caso o teste não detecte os genes, o sangue da mãe é analisado novamente de forma a confirmar que outro DNA fetal está presente. Após esta confirmação, os investigadores concluem que o feto é do sexo feminino.

 

O estudo revelou que, das 201 amostras, o teste sanguíneo deu um resultado conclusivos para 189 e foi 100% preciso. Adicionalmente, das 156 mulheres que realizaram o teste devido ao risco de doença associada ao cromossoma X, os resultados permitiram evitar a utilização de procedimentos invasivos em 41% dos casos.

 

Para além disso, o estudo revelou que as 27 mulheres que estavam a tomar esteróides por suspeita de hiperplasia adrenal congénita, uma doença genética que provoca nos indivíduos do sexo feminino um desenvolvimento anormal da genitália externa e outras características masculinas, puderam suspender o tratamento dado se ter descoberto que os fetos eram do sexo masculino.

 

De acordo com os investigadores, a precisão do teste sanguíneo significa que os procedimentos invasivos não são necessários para determinar o sexo fetal no início da gravidez.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.