Terapia Genética trata Epidermólise Bolhosa Juncional

Experiência pioneira apresentada na Nature Medicine

22 novembro 2006
  |  Partilhar:

Um paciente que sofria de uma grave doença genética da pele, traduzida por uma ausência de aderência entre a epiderme e a derme, Epidermólise Bolhosa Juncional, foi tratado, pela primeira vez, em Itália, por Terapia Genética. A notícia foi apresentada à revista médica Nature Medicine pela (AFM) Association Française contre les Myopathies, que se congratula pelo êxito. Uma equipa de investigadores norte-americanos, dirigida por Michele De Luca (Universidade de Modena e The Veneto Eye Bank Foundation) e financiada pela Télethon francesa e italiana, conseguiu reconstituir, neste paciente, uma epiderme que adere à derme, ao nível de duas feridas crónicas situadas nas coxas. Nesta fase, os investigadores não tentaram fazer uma experiência numa maior superfície da pele. Um Transplante de células estaminais embrionárias da pele tratadas por Terapia Genética permitiu reconstituir uma epiderme funcional que se renovou durante um ano. Fontes: Lusa e Imprensa Internacional MNI-Médicos Na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.