Terapêutica da hepatite C influencia vida sexual masculina

Estudo publicado no "Journal of Gastroenterology"

24 setembro 2009
  |  Partilhar:

Os homens que tomam os fármacos antivirais peginterferão e ribavirina para o tratamento da hepatite C crónica sofrem muitas vezes de disfunções sexuais, revela um estudo publicado no “Journal of Gastroenterology”.

 

Para o estudo, os investigadores do New York Presbyterian Medical Center, nos EUA, contaram com a participação de 260 indivíduos que foram tratados com peginterferão e ribavirina e aos quais foi solicitado que respondessem a um questionário sobre a sua saúde sexual antes, durante e após o tratamento.

 

O estudo revelou que, antes do tratamento, 37% dos homens reportaram alterações no desejo sexual, 26% na função eréctil, 22% relataram problemas de ejaculação e 44% registaram insatisfação na sua vida sexual.

 

No final da terapia, tanto à vigésima quarta semana como à quadragésima oitava, 38% a 48% dos homens reportaram uma diminuição na sua actividade sexual após terem iniciado o tratamento. Para os pacientes que interromperam a terapêutica às 24 semanas, seis meses após o final do tratamento a sua saúde sexual retornou quase à normalidade.

 

Em comparação com a fase de pré-tratamento, os homens que receberam o tratamento durante 48 semanas reportaram mais problemas de ejaculação e de erecção.

 

Perante os resultados deste estudo, a líder da investigação, Lorna M. Dove, aconselha os homens que planeiam fazer esta terapêutica a informarem-se sobre a possibilidade de um declínio na saúde sexual e a receberem apoio adequado, caso estes efeitos secundários ocorram.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.